quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Ontem zanguei-me. Comigo próprio a ver televisão. Mais zangado fiquei por não ser capaz de mais do que me zangar. Inutilmente. Ainda. Vamos a factos, na televisão, então, falava o Primeiro Passos, "lider" desta nau desgovernada. E rezava assim: "Temos que fazer sacrificios..". Temos? TEMOS? Mas ele faz algum sacrificio, pergunto eu de modo ingénuo? Em que é que a vidinha dele é afectada pelas palavras que profere, assim impunemente, como se fosse assim mesmo? Sacrificios..disso eu sei. Eu e os outros milhôes de portugueses que de facto têm de pagar os desmandos daquela corja de abutres que há séculos nos (des)governam. Bolas, que lata. Parece quase o lamento presidencial de há pouco, que até peditórios incentivou, coitado do homem, não vá morrer na miséria. Quer dizer, eles curtiram e curtem,e partem e repartem, à grande, à portuguesa, o dinheiro de todos nós, que depois, em faltando, ai que é preciso sacrificios e tal. Sacrificios dos de sempre não é mr. Passos e apaniguados.Que lata senhores. Pouco depois, também na tv, passava uma história de duas velhotas sós, naquela solidão de velho, algures em Lisboa. A de noventa e tal! tomava conta da de oitenta e picos! acamada. Entre medicamentos e despesas várias, e necessárias, o dinheiro, claro, escasseava. Escasseava muito. Ai velhice, qu além de só, és miserável. E entretanto, rodeado de mordomias pagas por mim (sim por mim, e por ti otário como eu) e de favores, e de compadrios, o outro lá clamava:  "Temos que fazer sacrificios..".  Sacrificios o C..

6 comentários:

  1. Obrigada por este post.

    (Era esfregar indignações como esta na cara de quem pede sacrifícios. A paciência tem limites! Pode ser que, nesta terra de brandos costumes, a falta dela comece a alastrar à medida que alastra também a falta de dinheiro. Cortar, cortar, cortar... Falo por mim: não posso cortar mais. Já cortei em TUDO o que podia. E eles, reis e senhores, a viverem à grande - e ainda se riem na nossa cara. Quando é que isto acaba?!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão Sofia, a única resposta é nunca desistir,nunca nos resignarmos, expressar a nossa revolta sempre que o pudermos.Juntos gfaremos uma sociedade melhor.

      Eliminar
  2. Mas será que este homem sabe o que são sacrifícios? Ele nem sabe o que é trabalho, como pode saber o que quer dizer sacrifício. Coitado é digno de pena!

    ResponderEliminar
  3. É mais um que vive em sacrifício. Por isso o secretário vive em sacrifício, o jardineiro vive em sacrifício, o motorista, o mordomo etc.

    ResponderEliminar
  4. “Ó senhor primeiro-ministro, você sabe lá o que é a vida”, diz Jerónimo de Sousa.
    Ninguém disse uma frase mais certa a esse idiota do PPC.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. he he he, por uma vez também tenho que concordar com ele. Mas depois lembro-me que o senhor, e o seu partido, deram os pêsames à Coreia do Norte, pela morte do seu querido lider. E então acordo ; )

      Eliminar